A tecnologia nos aproxima?

Eu sou um entusiasta da tecnologia, e do seu uso para socialização. Isso meio que vai pautar esse texto.  A cada tanto um texto, imagem ou video aparece nas minhas redes sociais chamando as de “Redes ANTI Sociais” (para bem da discussão deixemos de lado a hipocrisia em se usar da rede social reclamando da mesma). As redes sociais, ou o uso da tecnologia, realmente nós afasta da relação humano-humano direta?

Veja os seguintes exemplos: eu posso, via rede social, pedir hospedagem em (praticamente) qualquer cidade com internet no Brasil e/ou Mercosul (que tenho certeza que me receberiam, talvez mundo); assim como eu me importo (a nível de chorar ou me alegrar junto) com pessoas que nunca vi pessoalmente (ou se vi, a nossa relação se deu mais via bytes do que fisicamente). Sei que não costumo transpassar mesma preocupação com pessoas que estão fisicamente ao meu lado; mais por ser introvertido do que ser “anti-social”.

Dado os exemplos, eu creio que sim precisamos aprender a dosar a tecnologia; nas palavras O’Connell (A Vida Secreta de Walter Mitty – 2013) “Se eu gosto de um momento. Quero dizer, se estou nele, pessoalmente, prefiro não ter a distração da câmera”. Entenda, não sou contra o uso de cameras fotográficas (apenas sou a favor do uso CONSCIENTE); afinal quantas fotos você realmente viu depois de ter tirado?

Por isso não fiquemos chateando as pessoas que usam rede sociais, reclamando o quanto a internet tem te afastado delas. Porque muitas vezes a internet dá aquela proteção necessária para que as pessoas, que como eu, se cansam ou se sentem mal em gastar muito tempo dando 100% da atenção a outra pessoa (no plano fisico). E valorize quando uma pessoa assim quiser gastar tempo com você, muitas vezes ela ta fazendo um esforço maio do que você pode imaginar.

 

Published by

Max

Responsável por essa bagaça, aquele que teve a ideia de que ter um blog seria legal. Escreve sobre o que vem na cabeça, as vezes sobre o que sobressai nas redes sociais também.