Aquele post sobre gratidão

Eu juro que eu ia escrever sobre a viagem, sobre as malas quase prontas, sobre como se vestir no inverno. Mas que se dane, o blog é meu e lê quem quer!

Eu mando nesse blog.
Eu mando nesse blog.


Acho mais importante que essas coisas, falar sobre as pessoas. Pessoas são o que estão possibilitando essa viajem. Amigos, familiares, vizinhos, colegas de escola, colegas de trabalho. Eu sei é o governo que tá bancando tudo, mas falemos de outra área. O tal do emocional. Em 2011 quando eu fiz o meu primeiro “intercambio”, pago pelos meus pais, eu estava fugindo do Brasil, fugindo de várias situações onde eu mesmo me coloquei, e que eu deveria me afastar pra poder “juntar as minhas tralhas”.
E sabe, dessa vez não é assim, eu não estou fugindo de nada, e eu não estou deixando nenhuma ponta solta (ok, tem a questão do curso para terminar, mas eu estou falando EMOCIONALMENTE). Isso por causa de pessoas, que não citarei os nomes por questão de segurança. Foram pessoas que não precisavam nem estar do meu lado, mas andaram a segunda, terceira, quarta milha comigo (bem, tão andando até hoje). Foram pessoas que eu fiz elas chorarem, chorei por causa delas, chorei junto com elas. Também ri com elas.

E se hoje eu posso me preparar para entrar no avião, viajar 10´282 quilômetros, ficar 14 meses numa cultura diferente da minha é porque eu sei que com essas pessoas eu vou poder contar nesse tempo, mesmo com essa distância.

O que não quer dizer que eu não sei que vou ter choque cultural, que vou sentir saudades do solo tupiniquim, que vou querer voltar a nado. Apenas que quando eu passar por esses momentos, eu sei quem vai estar lá me puxando a orelha e me mostrando pelo que eu devo ser grato.

E pra mim a gratidão não é algo que vem naturalmente. Eu sou otimista/realista, eu sei que ver que a droga do copo está meio cheio E meio vazio e que alguém deveria encher o resto dele. Mas o meu desafio nesse tempo lá fora vai ser conseguir ver a metade cheia e entender que essa metade cheia é suficiente para matar a minha sede, e que se alguém vai terminar de encher a droga do copo, sobrou pra mim.

Qual dos três é você?
Qual dos três é você?

That´s all folks.
E voltem amanhã, juro que vai ter post novo!

See ya!
See ya!

Published by

Max

Responsável por essa bagaça, aquele que teve a ideia de que ter um blog seria legal. Escreve sobre o que vem na cabeça, as vezes sobre o que sobressai nas redes sociais também.