Caros Heteros

Zapeando pela internet, chegou um link para o video de uma lésbica poetisa fazendo uma carta aberta aos heteros. Em pouco tempo (coisa de menos de uma hora) cheguei no site dela, vi quase todos os videos das poesias dela. E achei interessante deixar esse pra vocês. Não esqueçam de dar um olhada no site da Denice Frohman! (A tradução abaixo é livre, e feita por mim mesmo; então pode ter erros)

Caros héteros,
Quem vocês pensam que são? Você tem que tornar tão obvio que eu que te deixo desconfortável? Por que eu te deixo desconfortável? Você agora eu faz sentir desconfortável! Agora estamos os dois desconfortáveis.
Caros héteros,
Vocês são a razão de nós ficarmos no armário. Vocês são a razão porque os armários existem! Eu não gosto do armário mas vocês tornaram a sala de estar num lugar incompartilhável, e agora eu me sinto uma estranha na minha própria casa.Caros héteros,
Sexualidade e gênero, duas coisas diferentes. Combinadas em maneiras diferentes. Se você já usou meias de pares diferentes, vai me entender.
Caro Hip Hop,
Porque estão fascinados em gays começando a fazer rap? Gays fazem rap. Assim como gays andam de bicicleta e comem tofu.
Caros héteros,
Eu não acho que Deus tenha uma orientação sexual. Mas se ela for hétero é uma tremenda aliada. Porque então ela teria criado o arco-íris?
Caras mulheres héteros,
(quero dizer, “mulheres héteros”)
Me deixem em paz!
Caros homens hétero,
Se eu flerto com você é porque eu acho divertido, apenas dê risada.
Caros héteros,
Eu estou cansada de ter que provar que o meu amor é autentico, então tenho algumas perguntas para vocês: Quando você percebeu que era hétero? Isso aconteceu porque os seus pais eram divorciados? Isso aconteceu porque seus pais não se divorciaram? Isso aconteceu porque você cheirou muita cola na quinta serie?
Caros héteros,
Por que eu tenho que provar que o meu amor é autentico? Por que eu tenho que provar que o meu amor é autentico? Por que eu tenho que provar que o meu amor é autentico? Por que vocês me encaram quando eu estou andando de mãos dadas com a minha namorada, como se eu fosse te assaltar?
Caros héteros,
Vocês me dão vontade te assaltar!
Caros héteros aliados,
Obrigado, mais por favor.
Caros héteros bullies,
Vocês estão certos quando afirmam que não temos os mesmos valores. Você mata tudo que é diferente, e eu preservo.
Diga-me, o que aconteceu com Jose Montalvo, Sakia Gunn, Lawarence King, me diga o que aconteceu com as almas alienadas entre muitas paredes do colegial, que planejaram os detalhes de suas mortes nas aulas de matemática. Que imaginaram seus funerais como paradas de papéis picados, que pensaram que a vida após a morte seria uma festa depois da hora. Sabia que este ódio continua vivo e bem em muitos refeitórios?  Ensinado no silêncio de muitos professores, passado como roupas de segunda mão por muitos pais.
Caras meninas queers,
Eu te vejo. Você não quer que eles te vejam, então você muda os pronomes nos seus poemas de amor, de ela para ele. Eu costumava fazer isso. Eu não faço mais isso.
Caros heteros,
Vocês fazem com que jovens poetas façam péssimas poesias.
Caros heteros,
Beijar a minha namorada em público sem precisar olhar para ver quem está observando é um luxo que eu ainda não tenho totalmente. Mas esta noite eu estou bêbada na minha liberdade, vou pegar nas mãos delas na esquina da rua mais movimentada da cidade mais cheia. Fechar meus dedos nos dela e apertar seus lábios firmemente, até nós nos derretermos em uma ovação em pé. Imaginando que nós estamos em um mar de sorrisos quando nós não estamos. E mesmo não estando, continuamos a nos tocar, cavando cada vez mais fundo nos olhos uma da outra, e dizemos: “Meu amor, nada pode nos interromper esta noite. Esta noite este mundo está quebrado e nós somos a única coisa que o manterá junto!”

Published by

Max

Responsável por essa bagaça, aquele que teve a ideia de que ter um blog seria legal. Escreve sobre o que vem na cabeça, as vezes sobre o que sobressai nas redes sociais também.