Eu amei um Gay

Andando pela interwebs vi alguns posts sobre amor de cristãos a homossexuais, e acho que é legal compartilhar a minha história também. Image

Fui criado dentro de uma bolha de “cristianismo”. Minha casa era dentro de uma missão evangélica, minha escola era evangélica, todos (ou quase todos) os meus relacionamentos eram com evangélicos. Aí eu passei pro ensino médio da UTFPR, um dos melhores do sul do país, e tive contato com vários estilos de vida diferentes, inclusive ateus e gays que eram “desviados dos caminhos do Senhor” (que na minha cabeça, naquela época, tinham o passaporte pro inferno carimbado). E no meio dessa realidade eu tive o prazer de conhecer uma pessoa que me ensinou o que realmente era a graça, e que me levou a questionar a mim mesmo e ao “meu cristianismo”. Depois de já ter essa maior compreensão da graça, do amor de Deus, e saber que todos carecemos d graça e da misericórdia, um amigo de infância (que foi criado na mesma bolha) noivou com um cara. Foi um choque inicial, esse cara era uma das pessoas que era exemplo de cristão para mim e para vários outros. Naquele momento tudo que eu tinha aprendido sobre graça, misericórdia e juízo divinos estava sendo posto à prova. Era bonito entrar numa sala com 20-40 crentes e dizer que eu amava o próximo. Tudo que eu tinha aprendido na infância sobre ser cristão, amar o diferente e talz. E qual seria a reação de Jesus Cristo, tendo em vista que Cristão significa Pequeno Cristo (At 11:26). E então, qual era a atitude de Cristo em relação aos “pecadores” enquanto estava aqui na terra? Bem, ele estava feio na fita! Um dos discípulos era cobrador de impostos (representante da dominação romana sobre os judeus), outro vendeu Ele por 30 moedas, almoçou na casa de um outro cobrador de impostos, deixou uma prostituta lavar seus pés, impediu que outra fosse apedrejada, curou a filha do centurião, conversou com uma samaritana, expulsou o demônio de uma sírio-fenícia, disse que um publicano (tradicionalmente ladrão) pode orar bem melhor que um fariseu (conhecedor e seguidor da religião judaica). O que eu vi quando fui ler os evangelhos buscando entender como ser cristão foi Cristo se achegando aos pecadores, e transformando em amor a realidade deles. E o que mais me impressionou foi que Jesus não se limitou em suprir as necessidades apenas dos arrependidos, Ele mostrou amor pra que eles entendessem como Ele os via. E Jesus claramente os via como humanos, que carecem da sua graça e quem sem ela estão incompletos. E que minha meta é ter atitudes mais parecidas com a dEle, e trazer o seu Reino na terra. Até que todos possam desfrutar de tudo que Deus é e de tudo que Deus doa. Depois dessa “pesquisa” toda (sim levo algum tempo pra eu puxar essa epistemologia toda) eu pude então entrar em contato com o meu amigo e dizer:” Cara, eu estou feliz por você. Você sabe que eu não concordo com a sua pratica, mas você é meu amigo, e eu estou feliz com a sua felicidade. E eu te amo, ~como amigo~” (essa última parte foi por pura zuera, mas é sempre importante deixar claro os limites).

Image

Desafio para a Parada Gay, ir pedir Perdão

E por tudo que escrevo acima eu digo que eu amei e amo um gay, e que o pecado dele não é diferente dos meus, somos apenas pecadores que carecem da graça de Deus. E gostaria de te desafiar a amar um pecador também.

(Não defendo aqui a atitude dele, ou as razoes que fizeram com que ele se afastasse de Deus. Estou pura e simplesmente explanando a minha reação a tais atitudes, e refletindo sobre elas.)

Published by

Max

Responsável por essa bagaça, aquele que teve a ideia de que ter um blog seria legal. Escreve sobre o que vem na cabeça, as vezes sobre o que sobressai nas redes sociais também.