Por que representatividade é importante?

Disclaimer: Eu sou homem, branco, nerd, cis, hetero, cristão, classe média (nem sei se sou, mas acho que sim), e tudo mais que possa me fazer o cara que é super representado em todos os meios de entretenimento e ficção; mas dado a quantidade de pessoas falando sobre isso, acho interessante usar o meu espaço pra falar sobre isso também. Entendo que boa parte do que será falado não é do meu local de fala e não quero aqui tirar o protagonismo da luta de ninguém.

Quem nunca saiu do cinema pensando como seria se você tivesse aqueles poderes (olha eu lembrando de ter visto X-Men 2), ou pudesse ser um “chutador de bundas” igual o Chuck Norris? Sabe aquele momento em que o “e se?” parece fazer a vida mais bonita? Pois é, nem todo mundo tem isso. Pra mim é fácil, porque quase todo personagem principal é parecido comigo; talvez não totalmente, mas quase. Eu me sinto representado pelo Chris Pratt, tanto gordo no “Parks and Rec.” quanto ele bombado em “Guardiões da Galáxia”! Mas já olhou pro lado, e viu quantas pessoas não conseguem se identificar porque não são representados de forma alguma, ou muito mal representados? Pra mim é fácil pensar em minha irmã que cresceu assistindo os mesmos desenhos e filmes que eu, e que só hoje vejo que estava mal representada APENAS por ser mulher.

Agora expandindo esse pensamento a poucos, imagina uma mulher negra? Ou um homem branco não-cis? Uma busca rápida na minha memória me lembra que ou são bem pouco representados (De negra temos a Uhura do Star Trek, e de homem não-cis já é bem mais difícil). Talvez em filmes indies ou em filmes “B” a gente ache uma representação maior. E hoje, tendo em vista todo o processo pessoal de tentar ser o mais empático possível, me sinto mal em saber que a minha irmã ou alguma amiga negra não vai ter o mesmo entusiasmo em se identificar com alguém na telona, ou em querer ser o Batman. Não digo que devamos mexer em todos os filmes, mas mais representatividade por favor! Por mais personagem “não-normais” e, que a raça ou a orientação de género não sejam necessários ou parte grande dos personagens; porque ninguém precisa explicar porque um personagem é cis e branco, mas sempre temos que colocar milhões de desculpas no roteiro para que não seja.

Exemplo pra mim é “Knights of Sidonia” onde muitos personagens são andróginos, e uns inclusive definem seu gênero é modificado conforme o parceiro. E ouvindo o Iradex Podcast eu pensei que seria muito forte, porque qualquer representação que eu vejo existe isso como algo muito grande; mas fui surpreendido porque nem 15 minutos de todo o tempo das temporadas são gastas em explicar isso. Apenas são assim, e pronto. Não precisa explicar, não é justificativa pra ação dos personagens. Assim como os heteros e cis são tratados pela telona os personagens não-cis são tratados nesse serie.

Esse é o objetivo, que toda pessoa possa assistir obras culturais e se sentir representada integralmente.

Published by

Max

Responsável por essa bagaça, aquele que teve a ideia de que ter um blog seria legal. Escreve sobre o que vem na cabeça, as vezes sobre o que sobressai nas redes sociais também.

Comments