Produção Cultural Cristão parou no tempo?

Eu sou daqueles “tênis verde” de ficar tentando entender porque gostei de algo, ou desgostei. Faz muito tempo que algo, na produção cultural, com alcunha de “cristão” ou “gospel” me chamou atenção e me fez, genuinamente, gostar. E acho que por isso que eu sempre, aqui no blog e em geral, tento me distanciar dessa alcunha.

Não digo que negue minhas crenças cristãs, mas que espero poder ter algum impacto em alguém; sem usar a alcunha de um “produtor de conteúdo cristão”. Embora a obra salvífica de Cristo seja um dos fatos mais importantes na minha vida, podemos  falar de outra coisa?

Dentro do “Gospel” se fala em duas coisas: 1) Jesus é luz do mundo, e nos salva na Cruz e 2) Ele veio para nos abençoar e tornar nossas vidas maneiras. Tanto isso que nunca tem um filme “cristão” fora dessa pegada, e eu já falei disso,  a velha formula de “a vida tava ruim -> aceitou Jesus (ou se arrependeu) -> a vida ta maneira”. Crendo que, ao menos eu creio, o cristianismo é sobre a vida INTEIRA da pessoa; falar só sobre isso é reduzir em muito a vida (ou mesmo o cristianismo).

Sei que sou um pouco fora da caixa para muitos cristãos, mas imagina um documentário serio de cristãos falando sobre o massacre de negros em uma igreja cristã? Lembrando que em Cristo não existe diferentes (Gl. 3:28), e a dor de é dor de todos (I Co. 12:26). Ou falando de como mulheres tem sofrido debaixo do julgo da religião, e como Cristo salva disso também. Enfim, esse comprometimento politico e social do cristianismo de raíz; de se doar pelo outro, assim como Cristo fez por nós.

Por isso, irmãos e irmãs em Cristo, sejamos um exemplo aos de fora. Produzamos conteúdo relevante, tal qual a mensagem que nos salvou.

Published by

Max

Responsável por essa bagaça, aquele que teve a ideia de que ter um blog seria legal. Escreve sobre o que vem na cabeça, as vezes sobre o que sobressai nas redes sociais também.