“Se Fácil Não Teria Graça”

festival-de-curitiba-2014-20140318100333-e1396610200912[1]
Se fosse fácil, não teria graça. Ou teria?

Ontem tive o prazer de assistir a peça de teatro “Se Fácil Não Teria Graça”. O roteiro é basicamente a vida do Nando Bolognesi, que aos 21 anos foi diagnosticado com Esclerose Múltipla. E desde de então mudou radicalmente tanto sua carreira quanto seu modo de ver o mundo. Após mochilão pela Europa (presente de fim de faculdade de economia) e diagnosticado, ele voltou a estudar para ser ator. Pouco antes do término do curso, as sequelas eram tantas que já tinha problemas para andar. E nesse momento que conheceu o curso de palhaço. Tem atuado como palhaço desde então, e a própria peça embora auto biográfica tem enfoque nas situações cômicas que ele passou por causa da doença. E através da historia triste de alguém que sofre de uma doença incurável ele consegue levar a plateia do choro ao riso com algumas palavras. Além de referencias mil, desde Platão até Donald Norman (pois é professor Marco, eu lembro da sua aula). Na ultima cena, que resume a peça toda, ele se propõe uma situação impossível: Atravessar o palco sem suas muletas.  Bem, impossível se ele quisesse ir andando, mas existem outras formas de se mover no palco. Em suma, vale muito a pena ver a peça. E o Paiol foi um palco esplendido para assisti-la pela interação inevitável entre publico e palco.

Published by

Max

Responsável por essa bagaça, aquele que teve a ideia de que ter um blog seria legal. Escreve sobre o que vem na cabeça, as vezes sobre o que sobressai nas redes sociais também.