Sobre Amanda Palmer e Patreon

É impressionante como no fim desse intercâmbio ideias de projetos novos tem surgido na minha cabeça, ou projetos que já existem e eu quero de alguma forma fazer parte. E como bom aluno de Design, quando eu to assim tô assim sem ideia do que fazer e falta um pouco de coragem em tomar alguns riscos acabo parando assistindo vários TED Talks como se alguém ali tivesse a resposta pra todos os meus problemas; e é impressionante que nunca ninguém tem. Mas eu assisti o TED da Amanda Palmer sobre A Arte de Pedir. Fazem quase 3 anos que esse Talk aconteceu, mas é impressionante as repercussões de coisas que começaram ali e hoje são extremamente presentes na minha vida internetica.

Make

Amanda Palmer é um misto de artista perfomatica, musica, escritora, video-maker, etc que faz coisas. Ela é “dona” de um dos projetos de musica dentro do KickStarter com mais dinheiro e pessoas envolvidas (na verdade é um dos projetos do KickStarter INTEIRO com mais alcance publico) com 1192% do seu projeto financiado via CrowdFounding (ela pediu pra internet 100 mil dólares para fazer um álbum, um artbook, e o tour; e conseguiu 1,9 milhão). E em março agora (2015) ela fez o Patreon para pessoas ajudarem ela a fazer “coisas”, é exatamente isso que ela fala. E para cada “coisa” que ela criar, pessoas ao redor do mundo (varias pessoas, mas todas juntas) vão pagar 33’222.45 dólares. Seja um video, uma musica, um álbum, um tour, uma foto.

Amanda1

O que faz a mesma internet que está burlando todos os códigos de ética e legislações sobre propriedade intelectual; e usando de formas pra não pagar por musica, filmes, livros pagar tanto pra um pessoa sem ter certeza do que ela vai fazer? Eu creio que seja porque ninguém está cobrando pelo conteúdo. O conteúdo vai estar lá, de graça. Só ver a quantidade de youtubers ou podcasters que estão adotando o sistema do Patreon. Patreon é um sistema de quase mecenato; de um lado o cliente vai contribuir com quanto quiser e o criador de conteúdo vai começar, ou continuar, criando conteúdo. Podem ser colocados metas, ou mesmo recompensas para a quantidade que o “patrono” está contribuindo. Difere do Kickstarter, IndieGoGo, Catarse.me porque esses são sistema de CrowdFounding pontuais (um livro, um lançamento, um álbum, etc) enquanto Patreon é um dos únicos sistemas onde existe um pagamento todo mês ou a cada “item” criado (sendo que esse item pode ser qualquer coisa previamente acordado entre o patrono e o cliente; ou as vezes não tão claro). Respondido o com isso tem acontecido, voltamos a razão de tanta gente depositando seu dinheiro a completos estranhos. E voltamos a Amanda Palmer. Em seu TED e em seu livro “A Arte de Pedir” fala que tudo é sobre a conexão entre o criador de conteúdo e o expectador.

AManda

E essa é a grande revolução da internet, podermos escolher quem apoiar e pra quem dar a plataforma de comunicar conosco.

GoodBye

Published by

Max

Responsável por essa bagaça, aquele que teve a ideia de que ter um blog seria legal. Escreve sobre o que vem na cabeça, as vezes sobre o que sobressai nas redes sociais também.