O Homem no Castelo Alto, a serie que vai mudar como fazer series.

The Man in the High Castle tem um argumento bem simples: o que aconteceria se a Alemanha tivesse ganho a Segunda Grande Guerra. Bastante simples, até. Mas a execução é impecável.

Seguimos a historia de dois personagens, Joe Blacke e Juliana Crain.

A divisão dos Estados Unidos após perderam a WWII
A divisão dos Estados Unidos após perderam a WWII

Juliana mora do lado que os japoneses dominaram dos Estados Unidos, os Estados Pacíficos da America, que é boa parte da Costa Oeste americana. Sua irmã é ligada a rebeldes americanos que querem o filme (nos livros é um livro) chamado “The Grasshopper Lies Heavy” (Grasshopper, gafanhoto,  era a forma como os soldados americanos se referiam entre si, devido ao uniforme verde) que traz noticias de um universo paralelo onde os americanos ganharam a Guerra. Esse filme subversivo serve para trazer esperança e ideologia para a resistência.

A Times Square nazista
A Times Square nazista

Joe mora no lado dos Estados Unidos que é dominado pelos alemães, chamado de O Grande Nazi Reich (The Great Nazi Reich) e onde nazistas tomaram conta de  toda a Costa Leste. Joe também tem contato com o filme subversivo, e tenta levar até o Homem do Castelo Alto; que suposta fabrica essas historias do universo paralelo.

Do lado esquerdo o filme da series, e do lado direito o livro do livro.
Do lado esquerdo o filme da series, e do lado direito o livro do livro.

Ambos se encontram, ainda no primeiro episódio, em uma área neutra onde supostamente o Homem do Castelo Alto vive.

E esse é a sinopse para uma das series que mais tem ocupado meu tempo nos últimos dias. Daquelas que qualquer olhada pra longe da tela é perdida referencias ao universo paralelo onde ocorre. Espero que curtam ela também, e possamos discutir algumas teorias no futuro próximo.

See ya!
See ya!

Telegram é melhor que WhatsApp?

Faz um tempo que eu uso o Telegram paralelamente com o WhatsApp como mensageiro instantâneo (IM) para celular. Sinceramente, a ideia é cada vez converter mais gente e deixar de usar o WPP.

Vamos a comparação?
Vamos a comparação?

Continue reading Telegram é melhor que WhatsApp?

Sobre Amanda Palmer e Patreon

É impressionante como no fim desse intercâmbio ideias de projetos novos tem surgido na minha cabeça, ou projetos que já existem e eu quero de alguma forma fazer parte. E como bom aluno de Design, quando eu to assim tô assim sem ideia do que fazer e falta um pouco de coragem em tomar alguns riscos acabo parando assistindo vários TED Talks como se alguém ali tivesse a resposta pra todos os meus problemas; e é impressionante que nunca ninguém tem. Mas eu assisti o TED da Amanda Palmer sobre A Arte de Pedir. Fazem quase 3 anos que esse Talk aconteceu, mas é impressionante as repercussões de coisas que começaram ali e hoje são extremamente presentes na minha vida internetica.

Make Continue reading Sobre Amanda Palmer e Patreon

Capitão América e o Soldado (Infernal) Invernal

E sobem os créditos de Capitão America “2”. Espera tem cena. E sobem os créditos de novo. Espera tem mais uma cena.

Eu tive o prazer de assistir esse filme no cinema (chupa Popcorn Time), e posso dizer que foi um ótimo filme. Acho digno começar falando sobre a questão do invernal. Sim invernal vem de inverno e, creio eu, eles mantiveram essa tradução estranha por causa dos quadrinhos. Existe uma revista chamada “Capitão América: O Soldado Invernal” (Captain America: The Winter Soldier) de 2005.

Essa ideia de invernal traz aquela briga clássica dos quadrinhos de Estados Unidos versus União das Republicas Socialistas Soviéticas. Sendo que o “Soldado Invernal” seria um super-herói criado pela URSS, mas que tem que ter a sua memoria reescrita a cada tanto para servir aos soviéticos, até aqui é historia das HQs, então sem spoilers.

Image Continue reading Capitão América e o Soldado (Infernal) Invernal

“Se Fácil Não Teria Graça”

festival-de-curitiba-2014-20140318100333-e1396610200912[1]
Se fosse fácil, não teria graça. Ou teria?

Ontem tive o prazer de assistir a peça de teatro “Se Fácil Não Teria Graça”. O roteiro é basicamente a vida do Nando Bolognesi, que aos 21 anos foi diagnosticado com Esclerose Múltipla. E desde de então mudou radicalmente tanto sua carreira quanto seu modo de ver o mundo. Continue reading “Se Fácil Não Teria Graça”